Nutrição Estética

Há alguns anos ouvi este termo em uma formação pedagógica com foco em artes, e depois descobri em design que isso é a busca por referências.

Nutrição estética é salvar novos arquivos de imagens e sons no hd da nossa mente, para acessá-los quando for necessário.

Hoje, numa linguagem mais poética, penso em alimentar a alma com arte diariamente. Mas isso por si só é muito amplo. Não há nem mesmo consenso sobre o que é arte…

Vou trazendo para meu universo pessoal não somente o que me emociona, mas o que me provoca a produzir.

E o que me motivou a escrever este texto, foi a percepção dessa diferença. Um exemplo é ir à uma exposição, onde são usadas diversas ferramentas de comunicação para aguçar os sentidos do expectador, a fim de que mergulhe no universo do que está sendo mostrado. Ele se sente provocado e automaticamente passa a fazer links com suas próprias ferramentas de comunicação, a fim de impactar outras pessoas. Obvio que isso não é uma regra geral. Nem todos pensam nesse sentido. E é possível que algumas pessoas passem indiferentes a todos estes recursos de comunicação. No entanto falo das pessoas que necessitam criar em seu dia a dia. E esta é a parte mais interessante, mas é o hábito que a faz eficiente.

É muito mais fácil e cômodo permanecer passivos diante do conhecimento. Porém somente o conhecimento aplicado ou multiplicado é vivo! Ainda não descobri se depende mesmo da arte que é mostrada, do quanto ela é provocativa, ou se do momento do contato, que trará a vontade dar continuidade àquela expressão. Até porque o quanto é provocativa dependerá de como o que vejo se encontra com o que sinto. Então, a solução é criar o hábito de produzir interpretações o máximo que puder!