Manifesto por um dia feliz

(Esse post é o compartilhamento de um exercício que fiz durante a expedição DecolaLab! Composto por mim para auxiliar na nova fase de mudanças de hábitos).

“A atenção gera energia! A intenção transforma!”

Deepak Chopra

Mentalizo a intenção para o dia seguinte sempre antes de dormir,
e ao acordar, mentalizo novamente!
Sei aonde quero chegar e como preciso me comportar para trazer meus sonhos e desejos mais profundos para este plano da realidade!
Tenho minha lista de desejos para esse ano, e tenho minha lista de desejos que fala de conquistas para a vida inteira.
Essa caminhada é a realização diária sentindo exatamente a mesma coisa que sentirei ao chegar aos pontos marcados, que são os itens de cada lista.
Por isso tenho eleitos meus sentimentos desejados em relação à minha vida de forma integral. Porque quem trabalha sou eu! E durante essas horas estou vivendo também!
Vivo o tempo todo! Meu céu é aqui e agora!
Todos os dias quero sentir: POTÊNCIA, AUTONOMIA, EXPANSÃO, BELEZA, AMOR E DEVER CUMPRIDO!

DOMINGO: Recarregar as energias de forma mais consciente no campo da potencialidade pura é prioridade amanhã/hoje! Todos os meus planos devem me colocar em contato com essa sensação e me possibilitar que ao final do dia, ou no começo dele, eu reserve aquela 1h para a determinação da minha agenda semanal de compromissos e realizações!

SEGUNDA: Amanhã/hoje eu quero me expandir! Faço questão de ser luz na vida de todos que eu encontrar ou pensar. Assim como de todos que pensarem em mim! Tudo o que eu fizer neste dia tem muito mais carga de energia com intenção na mudança que quero para mim e para o mundo!

TERÇA: Para sentir o dever cumprido no final de cada dia, mas em especial no final da semana, atenção plena em cada escolha! Todas elas! O tempo todo! Consciência! Amanhã/hoje eu me esforço de maneira especial para persistir nos objetivos que planejei, na manutenção dos meus hábitos saudáveis e colocando minha atenção no que eu ainda estou mudando! Conexão extrema e reforçada com a Suprema Força Criadora do Universo (Deus!) que protege o Eu superior, eterno e atemporal, minha existência em essência! Jamais fraquejar! Não é necessariamente luta! É presença e continuidade. Na confiança, sem desanimar, vou honrar!

QUARTA: Equilíbrio e fluência quero sentir! Solto toda ansiedade para reverberar melhor em mim tudo de positivo que tenho feito e colhido. Tudo se encaixa, e hoje eu quero sentir Amor e me conectar ao que há de mais belo. Ver a beleza em tudo, e colocar a atenção das minhas ações para devolver ao mundo a beleza que vejo e que sinto. Vejo um futuro brilhante para mim e para os que estão comigo! Minha visão se amplia e se torna nítida. Relembro meus sonhos mais belos e arrumo meu altar. Me perfumo e me ajeito para me sentir especialmente confortável para continuar a semana no cumprimento das tarefas e missões!

QUINTA: O que quer que seja que eu faça nesse dia será de forma mais potente! Só tenho como seguir em frente! amanhã/hoje irei me conectar com quem vibra os mesmos desejos para a mudança dos cenários que ainda não são favoráveis. Amanhã/hoje o meu pique é de revolução! Não importam os problemas! Em sua enorme maioria são ilusórios! Enxergo potencial e ajo de forma poderosa!

SEXTA: Leveza! Quero sentir gratidão e comemorar tudo dançando. A dança cura e contagia! Essa é a forma que eu me curo e curo quem quiser ser curado/a. A dança revigora, reverencia, seduz, traz plenitude. Na simplicidade desse ato eu posso sentir a autonomia de ser um Ser individual, único, potente, celebrando essa vida nesse corpo. Realizando e contagiando. Viva as pequenas conquistas!

SÁBADO: Contemplo o ponto da vida em que estou. Olho com respeito e seriedade. Desembaço as lentes que veem meus próximos passos, a partir dos caminhos que tenho traçado. Neste dia coloco a atenção nas relações e interações referentes ao que tenho feito e as valido com diversão da boa! Muitos abraços e celebrações! Dou e recebo presentes da minha alma! Realizo desejos! Sinto a vida, e ao mesmo tempo, reviso e retomo a veia real do que vim fazer aqui. Viverei amanhã/vivo hoje a consciência do prazer!

 

Dedicado também à todas as pessoas que já leram algum livro -que eu tenha indicado- dos que mudaram a minha vida!

Anúncios

Revisitando a trajetória

Parecia já ser suficiente.
Eu já tinha feito o exercício de olhar para as coisas que fiz, e então tomar decisões importantes na minha forma de trabalhar.
Que tolice achar que esse exercício seria repetitivo.
Mas quando eu me tornei astronauta, me comprometi a fazer todos os exercícios propostos pela comandante da nave, sem resistência gratuita.

A nave que estou falando, é a Espaçonave, escola de empreendedorismo que tem a Rafa Cappai como comandante. Eu ingressei na tripulação da expedição DecolaLab em maio deste ano (2017).

A missão de olhar novamente para minha vida para perceber capacidades, entre uma porção de outras coisas, foi algo desgastante. E pelo que vi, para outros astronautas também.
Enfrentei a resistência, e cumpri a missão.
(Aliás, ainda falta uma pequena etapa.
Uma lista de 15 pessoas que conheço receberá uma mensagem minha nos próximos dias e espero que me ajudem nisso.)
Bom, o que colhi não se resumiu aos momentos “a-ha” durante a tarefa.
Está sendo algo vivo, como se da árvore que eu colhi essas ideias, ainda estivesse florindo e brotando coisas novas, estimuladas por uma mesma ação!
Por isso recomendo fortemente sempre aproveitar as oportunidades de pensar e falar sobre si mesmo. E até buscar uma experiência mais aprofundada, como uma terapia, um coaching, ou simplesmente uma leitura reflexiva, que te convoque para alguma ação.

Percebo que há muito o que fazer, e por isso é necessário ajustar as prioridades e ordenar as ações.
O que faço aqui com esses textos é apenas compartilhar minhas reflexões e experiências.
É uma forma de responder pras pessoas quando me perguntam o que ando fazendo, ou com o quê estou trabalhando.
Bom gente, eu me sinto agora como quem caminha segurando um balão,
que hora tira meus pés do chão, eu dou uma voadinha com ele, e volto a caminhar na mesma linha.
Sabendo o que quero, mas aberta a todas as possibilidades que estejam sintonizadas com a missão principal!
Esse radar, nós só ativamos exercitando o lado direito do cérebro.
Talvez eu esteja sendo abstrata demais.
Mas vamos ter paciência.
Hoje eu preferi assim.

Beijos!

“Pourquoi autant de mots?”

Intro

Insight em tempo real!
Pensando sempre na direção do objetivo, atentando à mala do conhecimento, que trazemos conosco de nossas experiências, é preciso seguir!
Eu sabia que esse desafio ia me provocar coisas grandes.
Tô deixando fluir.
Porque é isso.
O desafio da vida!
Fluir!
Que paradoxo, não?!
Pourquoi autant de mots?” Trouxe esse insight pra mim!
(C** Talita, mas você só fala com esses estrangeirismos aí!!! Qui coisa mitida!)
Dá trabalho falar, né?!
Mas eu gosto de ser assim, sem fronteiras!

Intro 2

Gente, eu passei a vida escrevendo.
Tenho surtos de ficar escrevendo compulsivamente só pra colocar a mente nos trilhos.
Se eu tivesse salvado todos os blocos de notas que eu escrevi nas centrais de call center que eu trabalhei aí na vida, eu certamente já teria um livro bem gordinho.
E antes dos meus dedos bailarem pelos teclados, eu escolhia cuidadosamente papéis, cores de canetas e afins decorativos, para expressar minha angustiada alma de artista que se sentia limitada o tempo todo.
Fazia isso nas páginas dos meus diários. Alguns tenho até hoje.
Ao falarmos de nós mesmos, aprendemos muito!
E como o tempo dá um contorno prismático aos fatos, sempre veremos tudo por uma ótica diferente!
(Quem tem astigmatismo e miopia me entende mais ainda)
Isso dentro de uma mente observadora, mostra mais elementos da situação que possam ter passado despercebidos em outra época. Vai rolando um despertar à medida que você se mantém concentrado/a e avalia.
E hoje eu vejo que avaliar as coisas depois que passa um tempo, nos dá elementos a mais, que contribuem para um julgamento mais amplo de cada situação. Quanto mais tempo passado, mais elementos. O esquecimento vem puxando fios da trama do tecido do acontecimento, e faz com que quando se olhe novamente, o mesmo já contenha uma nova estampa. Assim somos beneficiados pelo esquecimento. É usar uma mesma experiência para aprender mais vezes com ela. É no mínimo muito rico pra ajudar a continuar vivendo no papel de protagonista. Penso que se me distraio, passo tempo sendo coadjuvante, ponta, e até figurante da minha própria vida. Cada um pode optar onde quer estar. Pessoalmente, hoje, prefiro estar ao mesmo tempo no lugar de expectadora assistindo a parte protagonista. Que sou eu também! Tá dando pra entender?

Intro 3

Decidi começar a escrever digitado.
Ainda escrevo bastante em papel.
(Vou confessar que to numa paixãozinha pela minha letra do momento. Ela tá muito gata! Muito charmosa.)
Isso foi depois de tirar a foto da página do livro de sugestões de estripulias, pra fazer o compartilhamento do desafio #30ideiasEm30dias no Instagram.
Digitando a legenda, o comichão do textão foi subindo pelo meu braço e eu parei. Pronto, vou escrever no blog! Já tem tanto tempo! Já tinha dado vontade de escrever durante a semana…
E durante a semana eu me questionei o quanto eu tava conversando só digitado no WhatsApp. São muitas palavras!
Minha voz também quer sair.
Só que é diferente, né!
O raciocício de quando se fala e de quando se escreve acontece diferente.
Numa fala, a gente tem que estruturar o pensamento numa constante em que não se volta atrás pra corrigir. E dentro da cabeça tem outros barulhos pra se passar por cima num ritmo que a comunicação falada pede.
[…pausa para revisão de texto]
(A conclusão da pausa foi: “Foda-se! Vou continuar escrevendo mesmo. Sem censura”)
O legal é fluir! Escrever fluindo também!
E nesse momento se aplica porque escrevo pensando em pessoas amadas!
Por você estar lendo até aqui, COM CERTEZA você é uma! Não importa se eu te conheça ou não. Eu amo quem se interessa por mim. Pela minha história, pelo que eu tenho a compartilhar. Lidando portanto com meus defeitos. Como usar muitas palavras por exemplo.

Intro 4

Só que se você chegou até aqui na leitura de um texto de blog, ufa!
Parabéns guerreiro/a!
Espero que você tenha vindo gingando por entre essas linhas, porque eu quero conversar com você!
Saber dos nossos pontos em comum, e dançando no ritmo de nossas vidas, aprender um com o outro!
E eu vou escrever sem separação de gênero (normalmente escrevendo, na frase acima eu colocaria “o/a” ou “a/o”) porque quando eu falo para um grupo de pessoas eu falo assim. Então só pra fluir, tá?!
E justamente!
Sem me preocupar agora em ser rápida, (preciso explicar isso, ora!)
quero escrever como se eu estivesse falando.
Assim eu me sinto como quando converso no WhatsApp! 😀
Haha… mas não! Vou procurar sim exercitar o meu poder de síntese, e colocá-lo na mesma equipe que a intuição.
Pra falar com todos os meus arrudeios quando couber e nos momentos que eu achar necessário, e também ser direta e até rápida como um tweet!
Quando eu quero ser sabichona as frases ficam looooooongas…
Agora chega! Sem intro 5, eu começo o que eu ia contar nesse post.

Pourquoi autant de mots” significa “Por que tantas palavras”.
Gostei de me ouvir falando isso e quis anotar.
O que faço agora com tantas palavras escritas em minha vida?
Agora eu já sei.
Descobri hoje.
E só por ter lido o texto acima, você é testemunha.

Gratidão!

 

 

Criar tempo para a mudança

Parei tudo neste momento para publicar um post de reflexão sobre atitude e tempo.

Assim como muitos de vocês leitores, eu também penso ter uma rotina agitada, cheia de compromissos e anseios por fazer mais coisas, melhorar aqui e ali, iniciar novos projetos com amigos que trazem alguma ideia… e uff!.. quanta coisa! Será que vamos conseguir?

(Disse que penso ter, porque existem pessoas que estão aí para nos provar com exemplos, que com foco e determinação é possível agir com jogo de cintura dentro do tempo e chegar aonde se deseja.)

Quando esses anseios não se concretizam, independente dos motivos, isso gera frustração. E acontecendo repetidas vezes, são repetidas frustrações, e é aí que está o perigo.

Não quero ficar nessa negatividade e muito menos na passividade do conformismo de aceitar tudo como está. Por isso defendo o equilíbrio de estar ciente de si e da própria vida. Sabendo enxergá-la de forma ampla, ou seja, ciente de como está administrando o dia a dia, se o que está fazendo, está fazendo com prazer, com olhos para o futuro e satisfação no presente. Isso é avaliação constante. Considero fundamental o tempo de avaliar. E sei também que é impossível estar plenamente satisfeito. Por isso as insatisfações que vejo nessas avaliações, me movem para uma maneira melhor de agir.

Neste momento estou pesquisando para fazer os ajustes que percebo necessários em eu trabalho. Agora ele está com essa cara:

Acessórios Sannalber® 2013
Brincos e Anéis Sannalber® 2013

E acompanharemos aqui este processo que exigirá paciência, já que esse assunto é extenso, e apesar de ser prioridade, concorre com uma porção de outras prioridades!!!!

Boas vibrações a todos nós que somos intensos e temos muita paixão e muito trabalho pela frente!!!

Hugs!

Novos brincos com tecido!

Tem novos brincos de tecido na caixinha da Sannalber!

Vou mostrar aqui o processo de quando eu fiz os brincos com pérola coberta com tecido.

Como eu vivo dizendo, sevirólogos de verdade fazem o melhor que podem com aquilo que têm.

Então o melhor e menos frustrante percurso para nossas criações é observar o material que temos.

Peguei retalhos,

pérolas que eu já tinha guardadas há um tempo,

linha de costura comum e linha especial brilhante, cor prata,

uma corrente composta por gomos interessantes, que costumo usar como acessório que emenda o brinco ao fecho,

e o alicate para soltar os gomos da corrente, e para encaixar o fecho.

A linha brilhante prata dá o acabamento, costurando a pérola nua em cima da coberta, e arrematar com o gominho separado da corrente.

Foi rápido e gostoso de fazer!

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rebeldia e Evolução

Quantas vezes indo pra mais um dia de trampo
com o coração apertado,
sentia a repressão daquelas pessoas
que concordavam em ter suas mentes lavadas
pelas exigências por vezes desumanas do capitalismo,
e eu com tantos sonhos distantes daquela realidade
quase me desesperava querendo saber
como…….de que forma eu iria conseguir……….ter tempo pra sonhar………
me libertar………mas me sustentar……….     ????
Mas eu sabia que conseguiria.
Então eu procurava a paz escrevendo,
e O Rappa, fazendo a trilha sonora, me salvava
com a música que me vinha à mente:

Ô lala, ô lala.. ee
Ô lala, ô lala.. ee

Podem avisar, pode avisar
Invente uma doença que me
Deixe em casa pra sonhar
Com o novo enredo outro dia de folia
Com o novo enredo outro dia de folia

Eu ia explodir, eu ia explodir
Mas eles não vão ver os meus pedaços por aí

Me deixa que hoje eu to de
Bobeira, bobeira

Ô lala, ô lala.. ee
Ô lala, ô lala.. ee

Hoje eu desafio o mundo
Sem sair da minha casa
Hoje eu sou um homem mais sincero
E mais justo comigo

Podem os homens vir que
Não vão me abalar
Os cães farejam o medo,
Logo não vão me encontrar
Não se trata de coragem
Mas meus olhos estão distantes
Me camuflam na paisagem
Dando um tempo,tempo, tempo
Pra cantar

Me deixa, que hoje eu tô de
Bobeira, bobeira
Me deixa, deixa, deixa
Que hoje eu to de
Bobeira, bobeira

Me deixa, deixa, deixa
Que hoje eu tô de
Bobeira, bobeira
Me deixa, ve se me deixa,
Que hoje eu to de bobeira,
Bobeira, bobeira…

Algumas vezes tirei o dia pra ficar “de bobeira”,
inventei doenças,
algumas vezes me dei bem,
algumas me dei mal.
(muito mal)
Mas tomei banho de chuva em tardes de verão,
Tive idéias,
Fiz planos,
Cantei canções,
e tomei decisões!

Não foi rápido. Levou alguns anos.
Ainda não inventaram coragem em cápsulas.
De tanto inventar doenças
adoeci de verdade.
E culminaram em minha vida
problemas, poemas, músicas, sonhos, atestados médicos, meditações e revolta.
O resultado………pedido de demissão!!!
Foi aí que eu comecei na Customização.

Qual é o meu trabalho com _MODA

Customizando
Na exposição “Uma Roupa Que Não Serve Mais”

Moda é cultura.

E é esse lado cultural da moda
que eu busco trabalhar,
trazendo ao grande público
a moda consciente
de forma acessível,
tanto no adquirir quanto no produzir;
de uma moda customizada
que resgata identidades,
ao invés de coisificar
personalidades e sentimentos
supervalorizando o glamour e o ter.
Porque todos somos.
E queremos ser o tempo todo!
Nos pensamentos,
Nas palavras,
Nas ações,
E nas roupas, que são a forma como
nos apresentamos ao mundo.