Nutrição Estética

Há alguns anos ouvi este termo em uma formação pedagógica com foco em artes, e depois descobri em design que isso é a busca por referências.

Nutrição estética é salvar novos arquivos de imagens e sons no hd da nossa mente, para acessá-los quando for necessário.

Hoje, numa linguagem mais poética, penso em alimentar a alma com arte diariamente. Mas isso por si só é muito amplo. Não há nem mesmo consenso sobre o que é arte…

Vou trazendo para meu universo pessoal não somente o que me emociona, mas o que me provoca a produzir.

E o que me motivou a escrever este texto, foi a percepção dessa diferença. Um exemplo é ir à uma exposição, onde são usadas diversas ferramentas de comunicação para aguçar os sentidos do expectador, a fim de que mergulhe no universo do que está sendo mostrado. Ele se sente provocado e automaticamente passa a fazer links com suas próprias ferramentas de comunicação, a fim de impactar outras pessoas. Obvio que isso não é uma regra geral. Nem todos pensam nesse sentido. E é possível que algumas pessoas passem indiferentes a todos estes recursos de comunicação. No entanto falo das pessoas que necessitam criar em seu dia a dia. E esta é a parte mais interessante, mas é o hábito que a faz eficiente.

É muito mais fácil e cômodo permanecer passivos diante do conhecimento. Porém somente o conhecimento aplicado ou multiplicado é vivo! Ainda não descobri se depende mesmo da arte que é mostrada, do quanto ela é provocativa, ou se do momento do contato, que trará a vontade dar continuidade àquela expressão. Até porque o quanto é provocativa dependerá de como o que vejo se encontra com o que sinto. Então, a solução é criar o hábito de produzir interpretações o máximo que puder!

SP ECOERA

Geeeeente… quanto tempo! Meu Deus! Até levei bronca da minha sobrinha por ficar tanto tempo sem postar nada.

Nesta volta venho mostrar pra vocês duas exposições que tem tudo a ver com customização.

E por terem me impressionado e ficado em minha memória, não poderia deixar de compartilhá-las aqui.

Elas fizeram parte do evento SP Ecoera que aconteceu na Escola São Paulo no último final de semana de setembro deste ano.

Os artistas responsáveis pelas obras são Gustavo Silvestre e Luiz Parisi ambos estilistas com um trabalho que valoriza os materiais naturais e os reaproveitados. Vale a pena conhecer o trabalho deles!

 

O evento SP Ecoera proporcionou diversas oportunidades de troca de ideias sobre moda e sustentabilidade. Foram realizadas oficinas, debates, performance e exposições em três dias de programação.

É sempre uma ótima experiência estar envolvida com pessoas que estão pensando à frente, trabalhando com projetos que propõem ideias inovadoras, e tudo rodeado por um ambiente que respira arte e beleza (porque é fundamental)!

Assim foi este evento, cheio de aprendizados e muitos insights!

Especial como outros que também amo participar, e não deixarei de colocar a cobertura dos próximos aqui.

Mais informações sobre a iniciativa deste evento e o projeto que está trabalhando nesta causa, no site http://sersustentavelcomestilo.com.br/

Customização no Design de Moda

No terceiro semestre da faculdade tivemos como tema do projeto interdisciplinar, “Design de Moda e Sociedade”. O projeto foi desenvolvido em grupo, e como sempre houve muita troca e aprendizado. Fiquei satisfeita por ter a sugestão de trabalhar com jeans aceita, e aqui eu compartilho um pouco de como foi este processo, por meio das fotos publicadas no link no final deste post, e do texto a seguir:

Muitas vezes, as revoluções no design ocorrem motivadas por mudanças sociais, políticas e comportamentais de um período. Observando este fenômeno, elegemos para um estudo mais aprofundado, a expressão do Art Déco, e nele encontramos o objeto de estudo nos cartazes de jazz dos anos 1920, que nos ofereceu informações visuais e do modo de vida das pessoas naquela época. O movimento Art Déco se manifestou com mais força no período entre primeira e segunda guerra mundial, influenciado por movimentos de vanguarda como cubismo, construtivismo e futurismo entre outros, e com sua expressão, gerou a identidade visual não só da moda, mas da arquitetura, do mobiliário e também das artes gráficas que marcaram os anos 1920 e 1930.

Tendo em mãos estes elementos e refletindo sobre esta realidade, chegamos ao Carpe Diem; uma expressão em latim, divulgada pelo poema “Odes I” (I, 11, 8) do poeta romano Horácio (65 – 8 a.C). Segundo PENNA, (2008 p.165), aponta “…a lição do carpe diem, em sua prática de aproveitar o melhor que a vida oferece sem se preocupar com o amanhã.” Se torna um conceito para o presente projeto.

Sabemos que nos tempos atuais deste século XXI, esta oportunidade de aproveitar um dia inteiro da maneira que mais lhe apraz, é algo muito desejado e para muitos, até um sonho de consumo. Isto devido à elevada necessidade e cobrança para que o ser humano seja produtivo para a sociedade. Desta forma o tempo é destinado em sua maioria ao cumprimento de obrigações, e finalmente o tempo para viver o melhor que a vida oferece é tratado como supérfluo, uma necessidade menor, um luxo.

As pesquisas baseadas no conceito nos levaram a encontrar o tecido chifon poliester+seda, na cor nude, que traz a ideia de naturalidade, e também o denim (jeans), em várias lavagens diferentes. Este último tão presente no dia a dia do nosso público, aparece aqui de forma inovadora num vestido composto por encontros de retalhos em tons contrastantes do mesmo denim, compondo um visual que propõe a sensação de que a roupa conta histórias. Isso é intensificado com a pedraria também em formatos e cores variadas, que foram pesquisadas a encontro do objetivo de demonstrar o valor inestimável do tempo.

Optamos por usar diversos elementos em pedraria, devido ao valor do tempo e sua passagem acelerada na rotina nos dias atuais, passando despercebido pela maioria das pessoas que não têm condições de aproveitá-lo com mais qualidade. Por este motivo, este valor que o brilho traz, não é exibido por completo, aparece sob a camada de tecido do vestido sobreposto, que deixa entrever a resplandecência sem mostrar completamente.

 

Este é o painel que ilustra o percurso de nossa pesquisa e desenvolvimento

O making off completo, e com mais referências, em fotos no link: https://picasaweb.google.com/101806857711897754485/ProjetoInterdisciplinar3Semestre2012

 

Um Bolso Ex-Inútil

Era uma vez um jeans muito velho e desprezado

sem nenhum corpo pra vestir.
Temia virar companheiro da flanela emporcalhada
de tirar pó, ou até mesmo ir pra lata do lixo. =/
Até que encontrou a tesoura transformadora pra lhe libertar.

E aí só precisou de mais um pedacinho de jeans,
linha e velcro para fechar…

e pronto!


O bolso agora se tornou uma bolsinha guarda-treco.